Contos Esquecidos

A vila reconstruída de Phandalin

5 de Tarsakh de 1488 CV

Corrin Greenbottle e Fálbala trabalharam juntos para consertar a ponte de corda que Ander Bonecreek havia partido. O halfling foi arremessado para o túnel superior pela elfa, onde amarrou a corda de Sora Verthisalthurgiesh para que todos pudessem passar sem ter que tentar escalar a outra passagem que encontraram. Ele precisava se certificar que estava bem apertada e segura, uma queda de 6 metros poderia ser fatal, estavam todos cansados e exaustos das lutas anteriores.

A travessia da ponte não foi difícil. Ammon quase caiu com o peso de seu equipamento, mas o tiefling conseguiu se manter equilibrado o suficiente para que pudessem atravessar. Corrin Greenbottle tomou a dianteira, seguindo escondido pelas sombras da caverna e misturando-se nos passos de seus amigos quando necessário.

Prisioneiro dos Boca Escarpada

O odor de sujeira era forte, quase tão pungente quanto a fumaça que vinha dali, queimando seus olhos e narinas. O halfling nada sentia, estando abaixo dos limites da fumaça. Era preciso usar pano ou a manga da camisa para evitar o pior.

Chegaram a uma caverna onde vários goblins tinham camas improvisadas com palha. Uma fogueira no meio era a fonte da fumaça. Em um patamar superior, divisavam a forma de um goblin usando um cocar e segurando um homem pela garganta, com uma espada enferrujada ameaçando sua vida. O goblin se apresentou como Yeemick e agradeceu por tornarem-no chefe com a morte de Klarg.

Feralas, o Tatuado exigiu que liberasse o prisioneiro, percebendo que era Sildar Hallwinter. Onde estaria Gundren Rockseeker, ele se perguntava, mas não havia tempo para isso. Precisavam convencer os goblins a liberar o prisioneiro e deixá-los ir, arriscar uma luta no território deles não seria prudente.

O elfo e o tiefling usaram seus poderes para manipular as chamas da fogueira, fazendo-a morrer e depois explodir em fulgor. Os goblins entraram em pânico, partindo para a violência. Yeemick cortou o pescoço de Sildar, que começava a gorgolejar sangue com os olhos virando freneticamente, estava em choque. O caos estava instaurado.

Por sorte, Corrin Greenbottle conseguiu salvar a vida de Sildar. Subindo no patamar escondido dos olhos dos goblins, despejou uma poção de cura em sua boca, fechando o ferimento e o estabilizando. Yeemick jazia morto ao lado do guerreiro, abatido pelas magias de Ander Bonecreek e pelos ataques de Feralas, o Tatuado.

Porém, no chão nada estava fácil. Fálbala sangrava caída pelo ataque de um dos goblins. Auriel Coldhand tentou ajudá-la mas também foi vítima do goblin. Estavam quase perdendo a luta. Sora Verthisalthurgiesh abria caminho com suas duas espadas, erguendo um dos goblins pela garganta perfurada, quando o halfling saltou de cima e atravessou o crânio de outro goblin com seu cajado.

Foi com dificuldade que encerraram a ameaça dos goblins e salvaram seus amigos da morte certa, mas os pesares não terminariam aí. Descobriram com Sildar que Gundren havia sido levado para a fortaleza dos goblins, o Castelo Boca Escarpada, mas não sabiam onde era o lugar. E mais: o segredo de Gundren havia sido revelado, os goblins estavam com seu mapa que mostrava o lugar onde a Caverna Eco das Ondas ficava, o lugar onde a Forja das Magias foi criada por anões, gnomos e humanos há 500 anos. Esse lugar não deveria cair em mãos erradas.

Uma Phandalin vermelha

8 de Tarsakh de 1488CV

Chegaram em Phandalin após Bem-Claro, carregados com as caixas identificadas como pertencentes ao carreteiro Escudo do Leão, os bois que puxavam a carroça extremamente cansados. Era notável que Phandalin era assim chamada pelos phandares que cresciam por ali e davam uma textura de veios negros às construções que usavam sua madeira, notável especialmente em meio à neve que ainda caía. Tudo ali era novo, construído em meio às ruínas da antiga Phandalin, destruída por orcs em 951 CV. Havia pouco mais de 4 anos que colonos de Neverwinter , Waterdeep e cidades próximas encontraram prata nas Montanhas da Espada e repovoaram as ruínas. O antigo forte da cidade, entretanto, não havia sido reconstruído, e seu fantasma dominava a visão do lugar, a decadência do antigo em meio à esperança do novo.

Sildar Hallwinter os levou até a loja Provisões Barthen, onde conheceram seu dono, Elmar Barthen, um homem careca e seus dois ajudantes, Ander e Thistle. Os irmãos Rockseeker, Nundro e Tharden, estavam acampados fora da vila mas não eram vistos há algum tempo. Com os devidos pagamentos feitos, Sildar combinou de se encontrarem mais tarde na estalagem Stonehill, ele precisaria passar antes no Salão Comunal de Phandalin para encontrar seu contato.

Ander Bonecreek usou seu corvo Edgar para procurar o acampamento dos Rockseeker, mas o encontrou vazio. Decidindo entregar as caixas do Escudo do Leão, dirigiram-se ao armazém indicado por Barthen.

No caminho encontraram uma elfa usando mantos e visivelmente ferida. Ela dispensou tratamentos, identificando-se como Garaele, uma irmã de Tymora, deusa da sorte. Garaele pediu que os aventureiros fizessem o que ela não conseguiu fazer: encontrar a banshee Agatha nos limites de Conyberry e perguntar-lhe o paradeiro do grimório do mago Bowgentle. Para isso, deveriam entregar-lhe um pente decorado para que a banshee os atendesse. A clériga os agradeceu, confiando sem sua índole e lhes entregou poções de cura em adiantamento pelo serviço, além de abençoar-lhes.

Porém, nem tudo eram flores em Phandalin. Garaele os advetiu dos homens trajando mantos vermelhos, os Capas Vermelhas, um grupo mercenário que havia se estabelecido há um mês no local e tomaram o controle da vila. Agindo como donos do lugar, os outros cidadãos os temiam e haviam feito coisas horríveis que a elfa preferia não lembrar.

Até aquele momento eram apenas olhados à distância pelos Capas Vermelhas, ainda não haviam sido incomodados, mas algo os deixava apreensivos: uma sensação de serem observados. Corrin Greenbottle e Sora Verthisalthurgiesh seguiram as pegadas deixadas por uma sombra que se esquivava pelas casas, mas elas se misturavam e se distorciam, mudavam e confundiam seus perseguidores.

Fálbala gritou para o elusivo observador que não eram uma ameaça e que se também não lhes era hostil, que se mostrasse. O silêncio foi sua resposta. O sol alto se anunciava, assim como a fome em suas barrigas e o anseio por uma lareira que espantasse o frio daquela manhã de Tarsakh. Precisavam ainda entregar as caixas do Escudo do Leão e comer alguma coisa antes que pudessem investigar os Capas Vermelhas e o que quer que os observasse.

Comments

bruno_baere bruno_baere

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.