Contos Esquecidos

Perigos em Thundertree

A viagem para Thundertree transcorreu sem maiores problemas. No primeiro dia, um vento frio soprava das Montanhas da Espada. No segundo dia, o aumento de temperatura trouxe a chuva, mas ao final do terceiro dia de viagem já tinham outra queda de temperatura, que transformou a precipitação em neve. Antes de acamparem, puderam divisar as ruínas cobertas de cinzas, mas também uma estranha vegetação que tomava o lugar.

Estavam ali para encontrar o druida que Qelline Alderleaf havia lhes indicado como a única pessoa que saberia encontrar as Mina de Phandelver. Também em Thundertree estava a herança de Mirna Dendrar, no boticário que pertencia à sua família.

22 de Tarsakh de 1488 CV, Bem Claro

Já em Bem Claro adentram o perímetro de Thundertree. Feralas, o Tatuado e Sora Verthisalthurgiesh estranhavam aquela vegetação. Para uma vila abandonada em 1451 CV pela explosão do Monte Hotenow, a vegetação não parecia ter crescido como o esperado. E mesmo no fim do inverno mostrava-se viçosa.

Encontro com o maltrapilho

Uma placa os esperava na entrada sul: “Perigo! Plantas monstro e mortos-vivos!”. Sora percebeu uma trilha de dentes de lagarto que dava a volta em uma casa, uma das poucas estruturas de Thundertree intactas, com as janelas cobertas por tábuas pregadas. Quando terminaram de dar a volta na casa seguindo a trilha, Feralas desviou de um ataque inesperado. Um cajado passou por sua cabeça, brandido por um homem sujo, coberto de lama no rosto, com gamos saindo dos cabelos.

Prontamente o elfo perguntou se era Reidoth, o que deixou o druida perplexo por saberem quem era. Apresentaram-se como amigos de Qelline Alderleaf. O druida os examinou. Em Sora, disse ver uma caçadora cuja história da raça resolveria seu problema. Em Fálbala viu a terra de Ixinos, deixando a elfa surpresa com o comentário. Em Rufus reconheceu o amigo de Phandalin.

Reidoth explicou-lhes o motivo da vegetação anômala em Thundertree: a presença de um dragão verde, Presa Peçonha. Há algum tempo o dragão havia se instalado ali, na torre na colina da vila. As plantas começaram a se modificar, dando lugar a variantes venenosas. Prometeu-lhes guiá-los até a Mina de Phandelver, que considerava um local fácil de achar se as pessoas ouvissem o som da terra, se conseguissem tirar o dragão dali, da maneira que fosse possível.

Feralas e Fálbala perceberam que Rufus estava um pouco apreensivo com a história do dragão. O homem tremia mais que vara verde. Ander Bonecreek votou por deixar o ruivo com suas coisas que carregavam e que Reidoth seguisse com eles, mas foram perturbados pelo ataque de galhos da praga.

Após destruírem seus atacantes, Feralas percebeu que o ruivo parecia ser mais novo do que dizia. Descobriram que ele tinha apenas 16 anos, e todos o julgavam mais velho por seu tamanho, força e barba (ainda que ele reclamasse que a atual era curta). Mas com Reidoth machucado pelo ataque dos Galhos e recolhendo-se para se curar, o ruivo prometera cobrir-lhes a retaguarda, recusando-se a deixar seus amigos.

Descarregaram sua carroça e deixaram o burro com Reidoth, para melhor proteção. Porém, no processo, Corrin Greenbottle foi transferir parte da bebida mágica para seu odre e acidentalmente aspirou os vapores. Suas mãos incharam e dela saíram pelos grossos. Seu toque estava pegajoso, como patas de aranha.

Oito patas puxando as cordas

Após ouvir o que Sora tinha a dizer sobre como seus antepassados matavam dragões em Abeir, Ander decidiu que o melhor local para armarem uma estratégia seria o posto da guarda na praça de Thundertree, um dos poucos lugares ainda de pé.

No caminho, os olhos amplificados pelo poder da Rainha de Rapina do bruxo captaram as cinzas e neve paradas no ar, disfarçadas pela neve que caía. Segurou feralas antes que o elfo se enroscasse nas teias que ali estavam, disfarçadas. Acendendo uma tocha, queimou a armadilha e as aranhas saíram do prédio.

A primeira saltou em cima de Corrin. O halfling usou seu cajado para atacar a aranha e desferiu diversos golpes em seu abdômen antes de rolar para fora de seu alcance. Suas mãos, já transformadas pela bebida, sofreram outra alteração, tornando-se de fato patas de aranha, tendo dificuldade para segurar seu cajado. Ander protegeu-se usando o Cajado da Defesa de uma teia que a outra aranha disparou.

Feralas falou na língua das aranhas, brandindo a tocha de Ander para afastá-las e convencê-las de que eram mais mortais que pareciam. As aranhas duvidaram de suas palavras e o condenaram a ter ossos limpos e secar em casulo. Feralas transfigurou-se em uma aranha gigante para poder lutar de igual para igual, mantendo suas tatuagens, o que o diferenciava para seus amigos.

Fálbala e Sora atacaram aranha que estava ao chão. Rufus veio correndo com seu machado e deu o derradeiro golpe. Corrin aproveitou as patas de aranha para subir mais facilmente na casa e enfrentar a aranha que disparava teias. Porém, no duelo, foi mordido e o veneno o deixou bem abalado.

Foi Fálbala que o impediu de ser mordido novamente, terminando com a aranha quando Feralas já subia para ajudar o amigo halfling. Sora administrou uma poção de cura para os ferimentos do monge, mas nada de efeito teve sobre sua transformação. O halfling começava a ficar preocupado, ainda tinha o cavanhaque que o gole anterior da bebida havia lhe conferido. Que mais transformações poderiam lhe ocorrer?

Dentro da casa, Ander encontrou um corpo enrolado em teia. Abrindo o casulo, descobriu ser um elfo, já ressequido, seus fluídos drenados pela aranha. Não poderia precisar há quanto tempo o elfo havia morrido e difícil seria dizer quem era.

View
Uma pausa para bebidas e lutas

18 de Tarsakh de 1488 CV

Chegam em Phandalin com Gundren Rockseeker. Descansam na estalagem Stonehill, onde Ander Bonecreek descobre haver um barril de bebida mágica.

Luta de Feralas, o Tatuado contra Rufus. Fálbala o convida para o grupo.

Discutem com Gundren Rockseeker sobre a validade de seu direito à Mina de Phandelver, sobre a ganância do anão e sobre a posição dos outros membros da vila com isso. A presença de doppelgangers é um fator preocupante, assim como a amnésia de Gundren.

Fálbala manda uma carta para seu marido e filhos pelo mensageiro da Aliança dos Lordes.

19 de Tarsakh de 1488 CV

Partem com Rufus para Thundertree.

View
Investigando o Poço Velha Coruja

Duelo de Ammon com o orc.

Investigação do Poço Velha Coruja.

Ataque de goblins.

Deixam para investigar os orcs da Pedra do Wyvern para depois e seguem para o Castelo Boca Escarpada.

16 de Tarsakh de 1488 CV

Chegam ao Castelo Boca Escarpada à noite.

View
Meditações

Morte de Hamun Kost.

13 de Tarsakh de 1488 CV

Feralas, o Tatuado entra em comunhão com Silvanus.

4 orcs se aproximam.

View
Negócios com a banshee

Interrogatório dos Capas Vermelhas restantes. Corrin Greenbottle intimida Pennet.

Visita de Agatha à noite.

12 de Tarsakh de 1488 CV

Ida ao covil de Agatha, negociações com a banshee. Viagem ao Poço Velha Coruja à noite.

Confronto com os zumbis de Hamun Kost. Rendição do necromante.

View
O destino de Cajado Vítreo

Continuação da caçada, interrogatório do goblin, informações do Castelo Boca Escarpada.

11 de Tarsakh de 1488 CV

Chegam a Conyberry. Fálbala mata Cajado Vítreo.

View
O interrogatório do Capa Vermelha

Ander Bonecreek interroga Elhaless (ver Sob a Mansão Tresendar) e lhe faz uma proposta.

Caçada aos rastros do Cajado Vítreo.

Ataque dos stirges ao acampamento.

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.